A Duquesa da Dominação

Categories BDSM, Fetiches
A Duquesa da Dominação

A duquesa e eu fomos recentemente ao teatro. A duquesa usava um vestido de noite de seda preta, tão justo que todas as curvas do seu corpo emanavam deleite, com uma racha na frente, de modo que a cada passo permitissem uma visão divina das suas lânguidas pernas, cobertas pelas pecaminosas meias de nylon pretas.

Como num passe de magia sedutora, ela capturava todos os olhares de quem fantasiava em antecipação trémula por ela. E então aconteceu! Um  elegante cavalheiro colidiu com ela! A taça de champanhe, que ela segurava em suas mãos, caiu no chão e quebrou-se em mil pedaços. “Para o chão, já!” E então ele deixou-se cair de joelhos e começou a recolher os pedaços. “Perdoe-me, querida senhora! Desculpe o meu comportamento sem cuidado!”

Ele apanhava os pedaços com as mãos irrequietas enquanto a duquesa o observava com um sorriso de desdém. Quando ele recolheu o último fragmento, o salto alto da duquesa desceu, seguro e certeiro, sobre ele. Ele podia sentir o seu salto a perfurar-lhe a pele. “Em dez minutos, no meu camarote privado!”

Sem atrasos, o desconhecido entrou no camarote da Domina e ajoelhou-se de imediato perante a duquesa. “Aproxima-se de mim!” comandava a duquesa o seu escravo submisso e imediatamente ele rastejou na sua direção. Ela apontou para um pequeno buraco que um dos cacos tinha rasgado na sua meia de seda. “Você pagará por isso!” Assim que a Domina pronunciou estas palavras, ela já tinha agarrado o escravo pelo colarinho e pressionava-o no chão. A duquesa tirou uma das suas meias de nylon das suas pernas divinais.

Ela lentamente puxou a meia e atou as pernas do escravo, abriu-lhe a braguilha e atou a outra ponta no seu membro palpitante. A seguir, ela deslizou a segunda meia lentamente pela sua perna alta e puxou-a sobre a cabeça e a parte superior do corpo do escravo, que jazia imóvel aos pés dela. Avidamente, ele tentava sugar toda a réstia do odor das suas meias, de qual ele agora era prisioneiro sado-masoquista.

“E agora você vai lamber os saltos altos de sua linda Domina até eles brilharem!” O escravo sentiu o intenso domínio dos pés da duquesa.

O ressonante comando da Domina foi imediatamente obedecido. Ela libertou-lhe a boca com um rasgo na meia de nylon e, com dificuldade, o escravo atado fez deslizar a sua língua pelos saltos altos. Ele lambia os saltos altos de couro da Domina, num ato de veneração.

Após os longos minutos em que ele avidamente se esforçava com a sua língua escrava submissa para agradar à sua Domina, ela repentinamente tirou os saltos altos e enfiou um dos seus pés na boca do escravo. O outro pé da amante massajava as coxas do escravo. “Oh, o que temos nós aqui?” exclamou a duquesa com uma risada sádica, apertando ainda mais os dedos entre as pernas do escravo. “Agora, seja escravo do meu pé!”

O escravo lambeu e massajou cada dedo do pé divino da Dominatrix. Ele circulou as unhas pintadas de vermelho com a língua devota e beijava as plantas do pé, estendendo sequiosamente a língua em direção à perna. O tempo todo, a Domina brincava com o corpo do seu escravo sexual.

Depois desta sessão, ela pegou no seu lenço de seda e começou e imobilizou por completo o seu objeto de prazer submisso. Durante todo o espetáculo, o escravo do seu fetiche teve que provar a sua humilde condição com a língua nos saltos altos e pés da Domina. De vez em quando, ele levava com um dos seus saltos no seu corpo, como recompensa. Somente quando a performance acabou, a duquesa o libertou do seu cativeiro.

Por fim, a Domina abriu-lhe a braguilha e libertou a glande desenfreada. Um profundo gemido soltou-se da sua garganta quando a duquesa puxou o outro lado da meia.

Hoje ele foi o seu escravo e objeto de luxúria… deseja ser o próximo escravo da duquesa?

Se se atrever e buscar a escravidão total como prazer, você será lascivamente punido, em qualquer lugar, de qualquer forma e para sempre.