Fetiche e Fantasia – Breve Glossário

Categories BDSM, Fetiches

Fetiches e fantasias sexuais são, maioritariamente, secretas. Quando não, ficam entre quatro paredes. Encontrar informação particular não é fácil, assim como identificar parceiros para realizar as suas fantasias e desejos pode ser uma missão (quase) impossível. Mas o tabu imposto pelos padrões vigentes na sociedade tem vindo a ser quebrado, com o intuito de dar espaço ao prazer estritamente adulto… porque, uma vez assumido entre parceiros que é em busca do prazer mútuo, então passa a ser a convenção maior e que sejam felizes.

Esse dicionário mostra boa parte dos Alguns fetiches e práticas sexuais mais comuns e divulgados, incluem:

Anal Play: fetiches ligados ao ânus e a sua estimulação e preparação para sexo anal.

Asfixia: prática (perigosa) que consiste na proibição da entrada de ar no momento do orgasmo, com o objetivo de o prolongar.

Vanilla: baunilha; é usado por fetichistas e sadomasoquistas para os não adeptos das práticas.

BDSM: sigla para bondage com sadomasoquismo.

Bondage: imobilização por cordas e algemas, normalmente nos braços e punhos. A cabeça e o pescoço não ficam imobilizados. Faça bondage só com alguém experiente, há limites para tudo.

Branding: queimadura na pele, como instrumento de dor ou como marca num escravo sexual numa relação sadomasoquista, tornando-se propriedade de seu dominador.

Butt Plug: apetrecho tipo pénis de borracha, mas com a base mais larga, usado como vibrador ou para anal training.

Cage: gaiola de metal ou madeira usada para prender alguém, numa relação sadomasoquista.

Canning: vara de bambu, usada como instrumento disciplinador para punir o escravo sexual submisso.

Cat o’ Nine Tail: chicotes com várias pontas para exercer domínio e estimulação via dor.

CBT (Cock and Ball Torture): tortura e dor na região genital masculina, geralmente com pesos e grampos, também conhecido por Ballbusting.

Clamps: grampos próprios para a lábia, glande, escroto e mamilos. Existem com controlo de intensidade.

Crossdressing: uso de peças de roupa do sexo oposto e mímica, o que não implica ser gay.

Electroestimulação: prática de estimular a excitação ou fazer o indivíduo chegar ao orgasmo involuntariamente via choques elétricos.

Enema: lavagem anal simples.

Fist Fucking: prática (bem difundida e praticada) da introdução da mão e do punho no ânus ou vagina. Descrito como uma sensação incrível, feito com calma e só com pessoas experientes.

Gag Ball: instrumento que impede a fala. O mais comum é uma bola colocada na boca, na relação submissa.

Golden Shower: a famosa chuva dourada, que envolve o prazer pela urina da outra pessoa.

Masoquismo: prazer sexual através da dor, humilhação e dominação.

Medical Play: jogo sexual entre um paciente (desprotegido, tímido, anestesiado) e outro que faz de médico. É só uma picada, não dói nada!

Nipple Bondage: aplicar cordas ou grampos nos seios femininos ou mamilos masculinos (caso tenha piercings de argola).

Podolatria: atração sexual por pés e acessórios como meias (as de nylon são um fetiche em si) e sapatos. Na maioria das vezes, o chulé faz parte da excitação.

Ponyboy (girl): parceiro submisso, treinado para se comportar como um potro, com trajes e acessórios próprios.

Rimming: o beijo grego – sexo oral no ânus, bastante comum e nada perigoso, se houver higiene.

Spanking: sexo à chapada, geralmente nas nádegas. Pode ser com as mãos, chicotes, palmatórias, entre outros. O ritmo das batidas é mais importante do que a intensidade.

Sadomasoquismo: prática onde os parceiros transformam a dor (física e/ou psicológica) em prazer sexual.

Socratismo: introdução dos dedos no ânus para obter prazer sexual.

Subspace: estado mental e físico, causada por uma libertação grande de endorfina para combater a dor física dentro de uma relação de domínio ou sadomasoquismo.

Sucção: bombas manuais ou elétricas que sugam partes do corpo através de vácuo.

Swing: Sexo em grupo. Muitas vezes, a simples troca de casais, que são pares estáveis.

Tickling: cócegas e beliscões em alguém. Simples e nada inocente!

Trampling: é ser pisado por alguém, descalço ou com sapatos, botas, saltos. Costas, pernas e tronco são mais zonas mais seguras. Muito comum em podólatras.

TT: tortura nos seios e mamilos por qualquer meio.

Voyeur: pessoa que se excita por observar outras em situações eróticas, desde que não haja consentimento dos observados. A variante consentida denomina o observador como cuckold (mais comum, o marido que observa a esposa com outros).

Water Sports: todos os fetiches que envolvam a presença de urina ou enema.

Whipping: uso de chicote para estimulação.

**Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do ApartadoX.