“…acabei de me vir… não posso já …”, gaguejou ele. “Oh, tenho certeza que consegues …”, gracejou, enquanto ela baixava lentamente as ancas, virando-se até que a sua fenda aveludada e reluzente encontrasse a parte inferior do seu mastro a meia-haste. “Mas eu …” objetava ele, mas já o seu pilar de prazer se erguia…Continuar a ler “Praia dos Prazeres – Capítulo Final”

gulosa

Durante horas tínhamos estado no nosso próprio mundo, sentados sozinhos numa cabine reservada, num bar à pinha no centro da cidade. “Tira as cuecas. Agora.” “Aqui?” perguntou ela. Olhei à nossa volta para os bêbados de 20 e poucos anos que estavam próximos, declarando freneticamente a sua disponibilidade sexual para quem quisesse ouvir a canção…Continuar a ler “O rescaldo da gulosa”

do-cibersexo-a-realidade

Já pratiquei várias vezes cibersexo com ele. Será que sexo real seria assim tão bom como as nossas conversas o faziam antever? Eu mal podia esperar pelo nosso primeiro encontro. Conhecemo-nos pela internet. Primeiro, conversámos normalmente, depois partilhámos cada vez mais intimamente até revelarmos os nossos desejos eróticos. O que eu lia no meu monitor…Continuar a ler “Do cibersexo à realidade”