gulosa

Durante horas tínhamos estado no nosso próprio mundo, sentados sozinhos numa cabine reservada, num bar à pinha no centro da cidade. “Tira as cuecas. Agora.” “Aqui?” perguntou ela. Olhei à nossa volta para os bêbados de 20 e poucos anos que estavam próximos, declarando freneticamente a sua disponibilidade sexual para quem quisesse ouvir a canção…Continuar a ler “O rescaldo da gulosa”