Beijamo-nos, gentilmente. Os lábios movem-se, acendendo pequenos fogos aqui e ali e ao redor, ao longo do meu pescoço, e de volta aos meus lábios amolecidos. Desferes o beijo, pegas-me pela mão e levas-me para a cama. A sorrir, começa a despir-me lentamente, e avisando-me que não tenho como escapar hoje à noite.

Este é o momento que me prometeste. Tens exigido que resista ao meu desejo. Prometeste uma maravilhosa palestra de abertura na tua aula tântrica: a melhor massagem lingam da minha vida. Pedes-me para relaxar na sensação e lembro-me de prestar atenção à minha respiração, para a sensação fazer parte da espiral da vida. Fecho os meus olhos e delicio-me com a sensação.

Acaricias o meu corpo com as pontas dos dedos, começando no topo da minha cabeça, relaxando a minha carne desnudada. Recordas-me:respira… e… expira…. Alcançaso meu rosto e começas a acariciar os meus lábios com os dedos, observando o tremor dos meus lábios em antecipação. Eu abro a minha boca para tragar os teus dedos. Seguesas linhas do meu pescoço e garganta, brincando com as minhas orelhas. Exploras os meus ombros, a o meu pescoço e continuaspelo meu corpo fora. Passas os dedos pelos meus braços, tocando todas as partes delicadas, particularmente ao longo das minhas costelas, o interior dos meus lombos e a palma das minhas mãos.

Regressas ao meu peito e começas uma excitação lenta. Baixas a cabeça devagar e levas os meus mamilos à boca … provocando-os, gentilmente, deixando-os tensos. Continuas no meu torso, apenas para voltares sempre aos meus mamilos. Suspiras quando os levas à tua boca, tragando-os com luxúria, sugando-lhes a minha força vital. A minha respiração acelera e tu paras – e sussurras: respira devagar.

Exploras o meu torso, agora com os dedos e a boca, lambendo-me com a língua, provando-me. Tocas as minhas ancas e eu ganho cornum ato reflexo. Desenhos a silhueta externa das minhas pernas e alcanças os meus pés, iniciando lentamente a massagem, levando-os à boca e chupando os meus dedos, lambendo-os… acariciando-os. Sobes pela linha interna das minhas pernas, alcançando os meus joelhos, esticando as minhas pernas e segurando-as para acariciar meus joelhos.

Sem pressa, provocas-me gradualmente, sabendo o que eu quero, sabendo que vou tê-lo em breve, esperando que eu possa entender a necessidade de restaurar a sensação sensual em cada célula do meu corpo, despertando-me para a sexualidade em cada recetor se prazer.

Beliscas o interior das minhas coxas, lambendo-as, beijando-as. Queres tocar-me, mas esperas. Tocas levemente com o teu dedo molhado a ponta do meu pau duro e inchado, deliciando-te com a textura esguia, e seguras o meu escroto na tua mão. Circulas e encurralas o meu sexo na palma das tuas mãos, pressionando e explorando, sem reivindicar a propriedade. Sinto-me tão pronto, tão pronto para vir-me.

Então, começas,verdadeiramente, aexperiência deliciosa da massagem lingam. Exploras cada solavanco e ruga e veia e fenda, procuraspor novas experiências para mim. Escutaso meu respirar, e eu suspiro enquanto a tua língua, lábios e dedos me oferecem a deliciosa massagem.

Pegas-me no saco e chupas-me, provocando-as com pequenos beliscões. Soltando-as, mergulhas a tua boca no meu pau, fazendo-o desaparecer por completo. Eu respondo com vigor, fodendo a tua boca. Quando pressentes que estou prestes a vir-me, soltas-me.

Chupas de ponta a ponta e eu imploro por um orgasmo, uma vez, duas vezes, três vezes. Sorris, relaxaso teu aperto recordas-me: respira, lentamente, inspira e expira, aproveita isso; nunca precisas de terminar.

Continuasa segurar-me a vara, entre o polegar e o dedo do meio, e deslizas os teus dedos para cima e para baixo, levando-me quase ao ponto sem retorno, e então voltas a aliviar a tensão sexual em mim. Sinto-me como um rio a transbordar numa cheia, preso pela barragem. O prazer é agonizantemente belo. Às vezes, sinto o toque de uma pena, atraído pela parte de baixo da cabeça do meu pau, como se estivessesa tocar violino sobre ele. O impulso insuportável de te penetrar, de saltar pela mesa e de te possuir por trás, desferindo o golpe saboroso do meu caralho bem no fundo de ti, percorre o meu corpo, a minha mente e a minha imaginação. Estou à mercê do teu toque e eu adoro isso. Eu quero soltar lágrimas de contentamento e tu abafas-me essa ânsia com um beijo, e eu imploro-te com lábios trémulos em surdina: Leva-me … até ao fim …

Mas eu volto a sacudir o mel do teu beijo. Ainda não: a tortura do prazer é linda demais.

Mas, finalmente, já não aguento mais e começo a vacilar. Decides abocanhar-me freneticamente, num sexo oral intenso, com a tua outra mão a massajar-me a próstata,gemendo de prazer, esperando, observando. Eu venho-me com um rugido de leão.

Acalmas-me, acaricias a minha pele quente e suada, confortando-me enquanto tento encontrar o meu corpo e, encaixando essa experiência no espaço agora expandido de mim mesmo.

**Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do ApartadoX.